História

Os Salesianos de Dom Bosco chegaram ao Rio Grande em 1901, para fundar “uma escola de artes e ofícios”, a pedido do então “bispo de São Pedro do Rio Grande”. Ou seja, do Rio Grande do Sul, Dom Cláudio José Ponce de León.
O Padre Octaviano Pereira de Albuquerque, pároco de Rio Grande, que muito se esforçou para que os salesianos se estabelecessem nesta cidade, foi quem comprou a casa que os acolheu. Onde foi instalado o Liceu Salesiano de Artes e Ofícios Leão XIII. O nome do Liceu foi dado em homenagem ao Papa da época da fundação.

Aos poucos foram surgindo os ambientes onde eram acolhidos os meninos internos. A capela do Liceu, dedicada a Nossa Senhora Auxiliadora, estava situada na esquina da rua Buarque de Macedo, com a rua Marechal Deodoro. Mesmo sendo apenas uma “capela do colégio”, para uso dos salesianos e alunos, foi, desde o início, frequentada pela população do bairro e de toda a cidade, tornando-se um fervoroso centro de vida cristã e de irradiação da devoção à “Virgem de Dom Bosco”.

Em 1926, assumiu a direção do Liceu Salesiano o Padre José Massimi, que se encarregou da construção do novo prédio. Aos poucos, as construções foram tomando o lugar dos antigos galpões.

Em 1929, foi inaugurada a nova capela do Liceu, transferida para o seu lugar atual, na esquina da rua Buarque de Macedo com a rua Visconde do Rio Grande. Esta igreja só terminou de ser totalmente construída em 1944. Dez anos depois, em 1954, foi construído o precioso e artístico altar de mármore.

Em 1951, o bispo diocesano de Pelotas, Dom Antônio Zattera, criou a Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora. A capela do Liceu, que há muitos anos vinha atendendo ao povo, que participava das celebrações, foi transformada em igreja-matriz da nova paróquia.

Paróquia Nossa Senhora AuxiliadoraSucederam-se os seguintes párocos:

  • Pe. Melico Cândido Barbosa (1951-1952);
  • Pe. Érico Schmengler (1953-1958);
  • Pe. Vicente Stelmaszczyk (1959-1960);
  • Pe. Antônio Maria Kuczerowski (1961-1962);
  • Pe. Sigmundo Fridolin Tarnovski (1962-1966);
  • Pe. Vitório Bona (1967-1969);
  • Pe. Mildo Busarello (1970);
  • Pe. Natal Bertoldi (1971-1978);
  • Pe. Tarcísio Luís Brasil Martins (1979-1984);
  • Pe. Geraldo Pereira D`Ávila (1985);
  • Pe. Sigmundo Fridolin Tarnovski (1986-1991);
  • Pe. Tercílio José Nardelli (1992);
  • Pe. Vicente Stelmaszczyk (1993-1994);
  • Pe. João Pedro da Silva Peres (1995);
  • Pe. Honório Lazzarini (1996-2004);
  • Pe. Tarcísio Luís Brasil Martins (2005-2011);
  • Pe. Dirceu Fernando Belotto (2012).
Deixe um comentário